:::...Baita Chão News...:::: B.A.R.B.A.R.I.D.A.D.E e suas inovações
Alegrete, Centro do Mundo,

14 de abril de 2012

B.A.R.B.A.R.I.D.A.D.E e suas inovações

B.A.R.B.A.R.I.D.A.D.E (Brigada Alegretense Revolucionária Blindada e Arregimentada de Responsabilidade) inova no é responsável por ter reinventado o combate ao crime desorganizado.

Devido a fortes tendencias do mercado mundial do mundo, muitos países do mundo(porção de terra em volta do Alegrete) estão aderindo ao uso de armas não letais no combate ao crime, algo que a B.A.R.B.A.R.I.D.A.D.E  faz desde os primórdios de sua existência
Apesar de muitos não saberem, foi o Capitão Carlos Alberto Ferreira  Torquato Ambrosio Oliveirao, vulgo CAFETAO, que começou a amansar os moradores da vilinha de uruguaiana a baixo de relho. Segundo consta por volta do década de 20, CAFETAO fazia sua ronda e foi atacado por 12 vileiros, por ser covardia ele puxar Garruncha .380 para apenas 12 ele resolveu usar uma outra arma.
Foi então que ele no alto de seu Tordilho puxou seu relho e começou a fazer a historia do uso de armas não letais no combate a desordeiros.
Esta tecnologia só foi liberada para ser usada no resto do mundo depois do avanço das negociações do MERCOSUL e mesmo assim o uso restrito do RELHO ainda é exclusivo da B.A.R.B.A.R.I.D.A.D.E  tendo as outras forças de combate ao crime terem que se adaptar e usar outros tipos de armas.


Outra das armas usadas por CAFETAO era a pimenta. Consta que após dominar o bagual, CAFETAO usava seu laço para amarrar as pernas e mãos,  deixando assim os meliante completamente imoveis. Mas sempre existia algum mais exaltado, ai então que CAFETAO costumava esfregar pimenta nos olhos para deixa-los mais calmos. Sabe-se bem que CAFETAO passava o dia mascando pimenta, foi dai que foi tirada a ideia de usar seu guspe como spray de pimenta pela 1° vez em escala industrial.


Nos dias de hoje, a pimenta foi qualificada como tempero natural bagual e não pode mais ser usada como arma pela B.A.R.B.A.R.I.D.A.D.E, ficando assim apenas o o RELHO sendo usado cada vez mais eficientemente no trato de desordeiros, vileiros, emos e afins.



Nenhum comentário:

Postar um comentário